Estilo do site

  • Preto/Branco
  • Padrão

Current Style: Padrão

  • Increase
  • Decrease
  • Normal

Current Size: 110%

Heloísa de Oliveira Campanhã

 
 
 
Graduanda em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP - FRANCA). Foi pesquisadora do Projeto de Iniciação Científica- PIBIC/ UNESP-CNPq (IC/ PIBIC): LEITURA DE JORNAIS: compilação iconográfica dirigida (2016). Foi pesquisadora do Projeto de Iniciação Científica- PIBIC/ UNESP-CNPq (IC/Reitoria): IMPRENSA FRANCESA PUBLICADA NO BRASIL- Lançamento e organização de fontes no Banco de Dados JFB, sob orientação da Profa. Dra. Valéria dos Santos Guimarães. Atualmente é bolsista TT-1/ FAPESP no mesmo projeto anterior sobre jornais franceses. É membro do LEIAH - Laboratório de Estudos Internacionais e Avançados em História, vinculado ao departamento de História da UNESP/ Franca (http://unesp.academia.edu/leiah). Faz parte também do Transfopress Brasil, rede de pesquisadores sobre a imprensa periódica publicada em língua estrangeira no Brasil; vinculado à rede internacional TRANSFOPRESS­ ? Transnational network for the study of foreign language press. Feminista assumida, se interessa por histórias em quadrinhos, história das mulheres e do teatro.
 
 
 
 
 
Pesquisador de Iniciação Científica IC-Reitoria UNESP
Pesquisador do Projeto Jovem Pesquisador FAPESP e TRANSFOPRESS BRASIL-CNPq     
Projeto em andamento IC-Reitoria/Unesp 2016
 
 
 
 
 
                                            Graduanda em História (UNESP - FCHS - Franca)
                                            CV Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/9111529874784451
 
 
Endereço para correspondência
 
FCHS - UNESP Campus Franca
Avenida Eufrásia Monteiro Petráglia, 900
Jd. Dr. Antônio Petráglia
CEP 14409-160 Franca - São Paulo
(16) 3706-8909 ou 3706-8933
Departamento de História, Sala 23
LEIAH - Laboratório de Estudos Internacioanis e Avançados em História
 
Metodologia da Pesquisa
A estudante de Iniciação Científica (IC) Heloísa de Oliveira Campanhã encontra-se no 2o ano do curso de História. Ela não possuía experiência em pesquisa em acervo. Estão sendo ensinados os procedimentos de coleta de fontes primárias em meios físicos e digitais, bem como a forma de catalogação dos mesmos no Banco de Dados desenvolvido especialmente para o projeto Jovem Pesquisador e para o Projeto Transfopress Brasil (http://transfopressbrasil.franca.unesp.br), em que ela trabalha especificamente no projeto da orientadora, Profa. Valéria Guimarães, sobre jornais franceses publicados no Brasil. Ela está ajudando a lançar e revisar os dados lançados com a ajuda e revisão da orientadora.
 
Os projetos desenvolvidos pelos alunos de IC são de autoria da orientadora, profa. dra. Valéria Guimarães. Os alunos foram orientados passo a passo em todas as fases da pesquisa em acervos e suportes, cuja escolha foi de responsabilidade da orientadora. Os trabalhos foram feitos em acervos digitais, visto que a bolsa PIBIC/CNPq não dispõe de reserva técnica para viagens que possibilitassem a visita a acervos físicos.

Foram pesquisadas as Revistas do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (até 1830) disponíveis no site homônimo. A orientadora notou a recorrência de citações a jornais franceses nos tópicos "Manuscritos", "Documentos remetidos ao IHGB", "Relatórios" e, principalmente, "Obras e Impressos oferecidos ao IHGB no ano". A maior parte dos  volumes são divididos em dois tomos, é na segunda que estes se encontram. A orientadora dividiu a pesquisa com as alunas de IC Iara Arzani e Isabel Fogaça. Iara pesquisou as revistas referentes aos anos de 1860-1870 e 1881-1890, totalizando 59 revistas. Isabel, ficou com os anos de 1871-1881 e 1900-1930. A orientadora reviu todas, de 1860-1930, além de pesquisar em outras seções do periódico que as alunas não pesquisaram.

Na Hemeroteca Digital Brasileira - Fundação Biblioteca Nacional (HD-FBN) e no Arquivo Público do Estado de São Paulo   (AESP) foram pesquisadas revistas ilustradas como Fon-Fon, A Cigarra e A Vida Moderna. Com a revista Fon-Fon (1907-1930), foi pesquisada por Isabel Fogaça de 1907 a 1913, que foi revisada e continuada pela orientadora, com metodologia quinquenal, a partir de 1907 (ano inicial da revista) e nos anos "redondos" de 1910, 1915, 1920, 1925 e 1930. Nestes anos, a escolha foi sempre o último sábado de cada mês. Com a revista A Cigarra (1895-1967), pesquisada pela aluna Iara Arzani, sob supervisão da orientadora, o método utilizado foi o de análise semestral – março e novembro de cada ano, até 1930, período coberto pela pesquisa. Os demais meses, foram pesquisados pela orientadora, sempre com metodologia quinquenal.

Ainda na Hemeroteca Digital Brasileira - Fundação Biblioteca Nacional e na Bibliothèque nationale de France (BnF) foram localizados jornais franceses publicados no Brasil sob direção da orientadora. Esta pesquisa teve que ser refeita, uma vez contatada inconsistência de dados.

No que tange ao bolsista PIBITI/CNPq (ISB), José Victor Maritan, sua função era lançar os dados no BD-JFB. Como havia muitos erros de lançamentos dos alunos que o precederam, ele se dedicou a revisar os dados, no que foi auxiliado posteriormente pela aluna de IC-Bolsa Reitoria Gislane dos Santos Gomes, trabalho este continuado pelo aluno Junior Gomes (IC-Bolsa Reitoria). Devido a problemas técnicos oriundos da segunda migração do BD-JFB (dos servidores do CEDAPH para servidor do próprio Programa Jovem Pesquisador, doado à FCHS-UNESP), vários dados tiveram que ser relançados. Também enfrentamos períodos de greve, o que dificultou o processo de migração, paralisando as atividades. Os lançamentos referentes ao Caderno de Registro dos Periódicos da Biblioteca Mário de Andrade tiveram que ser completados (a parte do aluno Caio Russo estava incompleta) e, em parte, refeitos. Com a migração, houve duplicação de dados, bem como embaralhamento dos mesmos, o que causou graves transtornos. Atualmente, os dados lançados estão passando por mais uma revisão e estão sendo completados, trabalho este que deve continuar mesmo após a abertura do BD-JFB ao público.

Os alunos também atuaram como monitores nos eventos e prestaram assessoria no grupo de pesquisa sobre imprensa em língua estrangeira TRANSFOPRESS. A pesquisa em fontes primárias realizada pelas alunas Iara Arzani e Isabel Fogaça foi menor que dos primeiros alunos de IC devido ao fato de terem uma carga-horária mais reduzida, imposta pelas condições da bolsa, e por terem se dedicado a outras atividades durante a vigência da bolsa, o que resultou no desligamento das mesmas.

A despeito disso, as atividades descritas também cumpriram sua função didática, na medida das restrições impostas pelo acesso ao acervo. De maneira geral, os alunos bolsistas PIBIC e PIBITI/CNPq dedicaram-se às atividades desenvolvidas no quadro do Programa Jovem Pesquisador FAPESP (reuniões, aulas, cursos com a professora visitante Diana Cooper-Richet etc.) e elaboraram um relatório com reflexão teórica sobre história cultural e história da leitura, além da descrição das atividades individuais como a pesquisa em fontes primárias.